Boeing

Dennis Muilenburg, CEO da Boeing, analisa o Relatório Preliminar do Voo 302 da Ethiopian Airlines

4 de abril de 2019

Nós da Boeing sentimos muito pelas vidas perdidas nos recentes acidentes do 737 MAX. Essas tragédias continuam presentes em nossos corações e mentes, e prestamos nossas condolências aos entes queridos dos passageiros e tripulantes a bordo do voo 610 da Lion Air e do voo 302 da Ethiopian Airlines. Todos nós sentimos a imensa gravidade desses eventos em nossa empresa e reconhecemos a profunda tristeza das famílias e amigos dos entes queridos que faleceram.

Os detalhes completos do que aconteceu nos dois acidentes serão apresentados pelas autoridades do governo nos relatórios finais, mas, com a divulgação do relatório preliminar sobre a investigação do  acidente do voo 302 da Ethiopian Airlines fica evidente que em ambos os voos o Sistema de Aumento das Características de Manobra, conhecido como MCAS, foi ativado em resposta a informações errôneas de ângulo de ataque.

A história da nossa indústria mostra que a maioria dos acidentes é causada por uma sequência de acontecimentos. Este é novamente o caso aqui, e sabemos que podemos interromper essa sequência que aconteceu nesses dois acidentes. Como os pilotos nos disseram, a ativação incorreta da função MCAS pode aumentar a carga de trabalho que já é alta de um ambiente. É nossa responsabilidade eliminar esse risco e sabemos como fazê-lo.

Desde os dias imediatamente após o acidente da Lion Air, nossas equipes com os nossos melhores engenheiros e especialistas estão trabalhando incansavelmente em colaboração com a Federal Aviation Administration (Administração Federal de Aviação) e nossos clientes para finalizar e implementar uma atualização de software que garantirá que acidentes como o do voo 610 da Lion Air e do voo 302 da Ethiopian Airlines nunca mais acontecem.

Estamos adotando uma abordagem abrangente e disciplinada e dedicando tempo para aperfeiçoar a atualização do software. Estamos em fase de conclusão e prevemos que sua certificação e implementação na frota do 737 MAX em todo o mundo aconteça nas próximas semanas. Lamentamos o impacto que a paralização das operações das aeronaves teve sobre nossos clientes de companhias aéreas e seus passageiros.

Esta atualização, juntamente com o treinamento correspondente e materiais educacionais adicionais que os pilotos querem na sequência desses acidentes, eliminará a possibilidade de ativação involuntária do MCAS e evitará que um acidente relacionado ao MCAS volte a acontecer.

Nós da Boeing assumimos a responsabilidade de construir e entregar aviões, aos nossos clientes de companhias aéreas e ao público usuário de transporte aéreo, que sejam seguros para voar e possam ser pilotados com segurança por cada um dos pilotos profissionais e dedicados em todo o mundo. Isso é o que fazemos na Boeing.

Continuamos confiantes na segurança fundamental do 737 MAX. Todos os que viajam nele - os passageiros, comissários de bordo e pilotos, incluindo nossas próprias famílias e amigos - merecem o nosso melhor. Quando o MAX retornar aos céus com o software alterado para a função MCAS, ele estará entre os aviões mais seguros que já voaram.

Sempre mantivemos um foco incansável na segurança e sempre manteremos. É a nossa essência na Boeing. E sabemos que sempre podemos ser melhores. Nossa equipe está determinada a continuar melhorando a segurança em parceria com a indústria aeroespacial global e a comunidade em geral. É esse sentimento comum de responsabilidade pela segurança de voo que nos abarca e nos une.

Não consigo me lembrar de um momento mais angustiante na minha carreira nessa grande empresa. Quando eu comecei na Boeing, há mais de três décadas, nossa equipe incrível me inspirou. Eu vejo como eles dedicam suas vidas e talentos extraordinários para conectar, proteger, explorar e inspirar o mundo - com segurança. E esse propósito e missão só se fortaleceram ao longo dos anos.

Sabemos que as vidas dependem do trabalho que fazemos e isso exige a máxima integridade e excelência na forma como fazemos isso. Com um profundo sentimento de dever, nós assumimos a responsabilidade de projetar, construir e apoiar os aviões mais seguros nos céus. Sabemos que toda pessoa que entra a bordo de um de nossos aviões deposita sua confiança em nós.

Juntos, faremos todo o possível para ganhar e reconquistar a confiança e crédito de nossos clientes e do público usuário de transporte aéreo nas próximas semanas e meses.

Mais uma vez, estamos profundamente tristes e sentimos muito pela dor que esses acidentes causaram em todo o mundo. A todo os afetados, manifestamos a nossa mais profunda solidariedade.

Dennis signature

Dennis Muilenburg
Chairman, Presidente e CEO
The Boeing Company